Anonimato

Porquê e para quê

Qual é o propósito do anonimato em Alcoólicos Anónimos?  Porque é tantas vezes referido como a maior e única proteção que a comunidade tem para assegurar sua contínua existência e crescimento?

Se considerarmos a história de AA desde o seu início em 1935 até aos nossos dias, torna-se claro que o anonimato serve duas funções distintas, se bem que igualmente vitais:

  • A nível pessoal, o anonimato assegura a proteção de todos os membros de serem identificados como alcoólicos, uma salvaguarda muitas vezes de importância especial para os recém-chegados;
  • A nível da imprensa, rádio, televisão, filmes e outros meios tecnológicos como a Internet, o anonimato reforça a igualdade de todos os membros da comunidade, refreando aqueles que, de outra forma, poderiam explorar a sua filiação em AA para alcançarem reconhecimento, poder ou benefício pessoal.

O anonimato numa base individual

Desde os seus primeiros dias, AA tem prometido o anonimato pessoal a todos os que frequentam as reuniões. Os seus fundadores e primeiros membros, sendo eles mesmos alcoólicos em recuperação, sabiam por experiência própria a vergonha que a maioria dos alcoólicos sente pelo facto de beber e o medo que tem da exposição pública. O estigma social do alcoolismo era grande e os primeiros membros de AA reconheceram que uma garantia firme de confidencialidade era imprescindível se quisessem ter êxito em atrair e ajudar outros alcoólicos alcançar a sobriedade.

Ao longo dos anos o anonimato tem provado ser uma das maiores dádivas que AA tem para oferecer ao alcoólico que sofre. Sem ele muitos nunca chegariam a participar da sua primeira reunião. Apesar do estigma se ter atenuado um pouco, a maioria dos recém-chegados ainda acha tão dolorosa a admissão do seu alcoolismo que ela só se torna possível num ambiente protegido. O anonimato é essencial para esta atmosfera de confiança e abertura.

Anonimato a nível público

Depois dos seus primeiros poucos anos de êxito, a Comunidade atraiu a atenção  muito favorável da imprensa. Artigos a elogiar AA apareceram em revistas e jornais em todo país. Com cada novo artigo aumentava o número de membros de AA. Nessa altura todos ainda receavam as consequências da divulgação pública e por isso a primeira cobertura feita pela imprensa preservou o anonimato dos membros por uma questão de segurança.

À medida que a consciência pública acerca do alcoolismo aumentava, o estigma diminuía e, em breve, alguns membros começaram a dar conhecimento público da sua filiação em AA nos meios de comunicação social.  Um dos primeiros a fazê-lo foi um famoso jogador de bola cuja reabilitação foi de tal modo espectacular que os jornais dedicaram uma especial atenção à sua triunfante luta contra o álcool. Acreditando que podia ajudar AA ao revelar sua qualidade de membro, falava disso abertamente. Até os fundadores de AA aprovaram as suas acções simplesmente porque ainda não tinham tido experiência do preço de uma tal publicidade.

Então outros membros decidiram quebrar o seu anonimato a nível da comunicação social, alguns motivados por boa vontade, outros por interesse pessoal. Alguns membros conceberam estratagemas para associar sua filiação em AA com todo o género de atividades empresariais: seguros, vendas, lugares conhecidos como “quintas de desintoxicação” e até uma revista de temperança, só para referir algumas.

Não tardou muito para que os serviços centrais se apercebessem que os que quebravam o anonimato numa atitude de excesso de zelo e de auto-promoção poderiam pôr rapidamente em perigo a reputação da Comunidade tão dificilmente conquistada. E viram que se uma pessoa fosse excepção, outras excepções seguir-se-iam inevitavelmente. Para assegurar a unidade, a eficácia e o bem-estar de AA, o anonimato tinha de se aplicar a todos. Era a proteção de tudo o que AA significava.

Mais recentemente a chegada de novas formas de comunicação electrónica como as redes sociais oferece meios recentes para levar a mensagem de AA ao público. As comunicações modernas fluem de formas muito tecnológicas, com um âmbito relativamente aberto e que evoluem rapidamente. A proteção do anonimato é uma grande preocupação dos membros de AA que acedem à Internet em números cada vez maiores.

Ao sublinhar a igualdade de todos os membros de AA e a unidade no compromisso comum da sua recuperação do alcoolismo, o anonimato actua como o alicerce espiritual da Comunidade. Em 1946, Bill W, o nosso co-fundador, escreveu: ”O termo ‘anónimo’ tem para nós um imenso significado espiritual. De modo subtil mas enfático, lembra-nos que temos sempre de colocar os princípios acima das personalidades; que renunciámos à glorificação pessoal em público; que o nosso movimento não só proclama, como também pratica uma verdadeira humildade”.

Em resumo:

  • Os membros de AA podem revelar sua identidade e falar como alcoólicos em recuperação ao darem entrevistas de rádio, televisão e Internet sem violarem as Tradições desde que não revelem o facto de pertencerem à Comunidade AA.
  • Os membros de AA podem falar como membros de AA desde que os seus nomes ou rostos não sejam revelados. Não falam por AA mas como membros individuais.