EM DIRECÇÃO À LIBERDADE EMOCIONAL

2016-08-20

Dado que as relações distorcidas com os outros seres humanos foram quase sempre a causa imediata da nossa infelicidade, incluindo o alcoolismo, nenhuma outra área de análise poderia trazer resultados mais satisfatórios e valiosos do que esta.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, pág. 76

Para mim, a boa vontade é algo especial porque, com o tempo, parece vir primeiro com a consciência, mas depois com um sentimento de desconforto que me faz querer passar à acção. À medida que pensava fazer o Oitavo Passo, a minha disposição para fazer reparações veio-me como o desejo de perdoar os outros e a mim mesmo. Senti o perdão em relação aos outros depois de tomar consciência da minha parte nas dificuldades que tinha nas minhas relações. Queria sentir a paz e a serenidade descritas nas Promessas. Através da prática dos sete primeiros Passos, dei-me conta a quem tinha causado danos e que eu tinha sido o meu pior inimigo. Para restaurar as minhas relações com os meus semelhantes, eu sabia que tinha de mudar. Queria aprender a viver em harmonia comigo mesmo e com os outros para poder também ter uma vida de liberdade emocional. O princípio do fim do meu isolamento - dos meus semelhantes e de Deus - veio quando escrevi a minha lista do Oitavo Passo.

© Copyright, 1990, Reflexões Diárias, traduzido e reproduzido com autorização de Alcoholics Anonymous World Services, Inc.

Receba no seu email a nossa Reflexão Diária