Recuperação e serviço em reuniões online

Conheci o Programa de Alcoólicos Anónimos quando, a meu pedido, fui internada num Centro de Recuperação, no início de 2007. Entrei sem estar ciente de que tinha a doença do alcoolismo e, para ser honesta, devo confessar que, quando de lá saí, continuava a pensar que era diferente, que podia beber meio copo por dia, fazendo isso ainda durante alguns meses. 

Nos cerca de dois anos seguintes, bebi ainda, se bem que esporadicamente, muito mais que o tal meio copo diário. Levei algum tempo até aceitar que era para toda a vida que precisava de não beber o primeiro golo (não um copo cheio ou meio) de qualquer bebida alcoólica. 

Quando, em 23 de Setembro de 2010, apanhei a minha última bebedeira, percebi finalmente que tinha de frequentar reuniões de AA de uma forma continuada. Mas estava a morar numa cidade sem reuniões e sem facilidade de transporte. Dediquei-me à procura de mais informação sobre a minha região e, em Outubro, comecei a frequentar a reunião de AA existente numa cidade vizinha, a qual, em Janeiro de 2011, foi deslocada para a cidade onde vivo. Passei assim a ter uma reunião semanal onde posso chegar a pé, mesmo que por vezes de muletas. 

Fiz - por mim e pelos outros - por manter a reunião aberta, mesmo que, em várias ocasiões, estivesse “sozinha” na sala. Porquê as aspas? Porque tinha a companhia da literatura de AA, muitas vezes esquecendo-me de fechar a porta após hora e meia. Ficava tão embrenhada na leitura que nem dava pela passagem do tempo! 

Foi num Fórum de Serviço, em Fevereiro de 2019, que tomei conhecimento da existência de um Grupo online em Portugal há mais de dois anos. Mas – alcoólica de gema, embora em recuperação – não procurei aderir de imediato. Os meus defeitos de carácter, que preciso de continuar a trabalhar por toda a vida, guiam-me muitas vezes através da preguiça, teimosia, indecisão, resistência a novos desafios… 

Mas o meu Poder Superior deu-me um empurrão: em Junho de 2019, recebi em minha casa um querido companheiro de AA que tinha conhecido ainda durante o meu internamento em Lisboa. Conversando aqui em casa, após a minha reunião presencial pouco apelativa, decidimos que iríamos ambos iniciar a nossa caminhada online, sentando-nos na minha sala frente ao computador. Ambos renitentes até então, unimos a nossa vontade e, mais uma vez, a Unidade esteve presente em AA. 

Curiosamente, era esse mesmo companheiro quem estava no acolhimento aos recém-chegados quando fiz a minha primeira reunião de AA, na sala do Grupo de Santa Isabel. Não poderia ter tido melhor começo! 

Apesar de pouco conhecedores das tecnologias, esta foi para ambos uma experiência extremamente enriquecedora, ao ponto de nenhum dos dois ter abandonado as reuniões online até hoje. 

O meu Grupo presencial está suspenso, por diversas razões, desde Dezembro de 2019, mas o meu Grupo base ficará para sempre sendo o Grupo Sóbrio Online, mesmo que por aqui volte a reabrir uma reunião presencial. 

Já nem sequer tenho de fazer reuniões apenas no meu Grupo base: posso “viajar”, sem ter problemas com o transporte! Viajo pelo país e pelo mundo. Até já fui a Angola e ao Brasil sem ter de pagar passagem aérea nem estar preocupada com o confinamento. Mesmo o flagelo do Covid-19 veio ajudar-me a crescer em Serviço online! 

Como o Sóbrio Online era o único Grupo online listado no directório quando foi decretado o confinamento, chegámos a ter uma lista de mais de 100 membros inscritos, e, na altura, era necessário fazer a chamada um a um, para cada uma das reuniões semanais... Muito trabalho, por vezes alguma confusão, mas uma grande alegria pelo dever cumprido em recuperação! 

Em virtude da enorme adesão via internet, foi aberto o Grupo Recuperação Online, com três reuniões semanais, e o Sóbrio Online aumentou para seis reuniões por semana, vindo depois a reduzir para quatro. Actualmente, regressámos ao número inicial de três reuniões, por já não se justificar o esforço acrescido que precisámos de fazer enquanto não houve tantas reuniões a nível nacional. 

Entretanto, muitos Grupos que tinham as suas salas fechadas também começaram a fazer reuniões online, mantendo alguns deles os dois formatos em dias alternados, mesmo quando já puderam reabrir. Abriram ainda o Grupo Mulheres On-Line e Sexta Online. 

Devido às actuais restrições em reuniões presenciais – uso de máscara, distanciamento, impedimento de beijos e abraços –, sinto que, nas reuniões online, estamos verdadeiramente unidos, olhando olhos nos olhos, abraçando e beijando virtualmente, espalhando um amor incondicional que se transmite por magia. Amo muitos companheiros que nunca vi em pessoa, não sabendo bem explicar como isto me acontece! Sem dúvida porque estamos num programa espiritual. 

Temos vários recém-chegados que entraram em AA através das reuniões online e que por cá se mantêm ao fim de bastante tempo. Independentemente do formato, a verdade é que o nosso Programa funciona, se trabalharmos para isso. 

No Grupo Sóbrio Online, passei desde muito cedo a fazer serviço. Com ele, todos os dias aprendo mais um pouco sobre AA e sobre mim própria. Aprendi até as noções básicas necessárias para dar algum apoio a companheiros que iam abrindo reuniões online em substituição das salas que estavam fechadas. No entanto, não posso esquecer que, em AA, continuo a ter muito mais para aprender. Como escrevi atrás, é um Programa que quero levar comigo para toda a vida, pois continuo, e continuarei, a ser um ser imperfeito. 

Vou conhecendo novos companheiros, revendo outros que já conhecia – uns melhor e outros apenas de encontros em Fóruns e Reuniões de Serviço ou em Convenções --, sabendo, através das muitas partilhas que ouço atentamente, das suas histórias de vida, dos seus percursos diários, dos seus avanços e recuos, conquistas e desgostos… e tudo isto é a forma mais extraordinária que tenho de crescer em Alcoólicos Anónimos. 

Tive mesmo oportunidade de conhecer a maioria dos membros deste meu novo Grupo base, o Sóbrio Online, quando foi decidido fazer, no ano passado, um almoço entre todos, seguido de uma reunião na sala que o restaurante nos havia reservado. Além dos presentes, contámos ainda com a participação online de um querido companheiro que se encontra no Brasil. Foi inesquecível! 

Estou extremamente grata aos companheiros de AA que me dão a oportunidade de aprender e tentar ser uma pessoa melhor, crescendo um pouco no meu dia-a-dia e em serviço, umas vezes depressa, outras muito devagar. E isto sem ter de sair de casa (se me entendesse bem com os dados móveis no telemóvel, até podia ir para um cantinho na praia, ou sentar num banquinho frente ao mar… Quando estiver com o meu neto, vou pedir-lhe ajuda)!